segunda-feira, 2 de maio de 2016

Sucesso faz camisas do Leicester sumirem nas lojas, e time perde R$ 5 milhões

(Foto: PITI A SAHAKORN/LIGHTROCKET/GETTY IMAGES)


As lojas oficiais do Leicester e a Puma, fornecedora de material esportivo dos Foxes, certamente não estavam preparadas para o sucesso do clube, líder isolado da Premier League e com uma mão na taça. Segundo reportagem da Bloomberg, as camisas estão esgotadas faz tempo nas lojas oficiais do time (tanto físicas quanto online), e a falta de peças impediu que o clube inglês ganhasse um bom dinheiro.

O time azul, aliás, pode ser campeão já nesta segunda-feira, caso o Tottenham não consiga vencer o Chelsea, em clássico que será exibido exclusivamente pela ESPN Brasil, às 16h (horário de Brasília).

Na loja do Leicester no estádio King Power, a última camisa foi vendida há meses, e até os manequins ficaram "pelados". Na internet, também não é possível conseguir uniformes: tudo sold out, dos tamanhos P até XXXXL. O único ítem ainda disponível é o meião oficial.

"As vendas de uniformes quebraram todos os recordes, e a demanda sem precendentes acabou levando ao fim dos estoques nesta parte final da temporada", explicou o time inglês, em comunicado. A Puma, por sua vez, não quis comentar.

Segundo Andy Anson, executivo-chefe da Kitbag Ltd., empresa que comanda as lojas online de diversos grandes clubes do mundo, como Manchester United e Real Madrid, o Leicester está despediçando a chance de ganhar pelo menos 1 milhão de libras (R$ 5 milhões);

Segundo Anson, as equipes costumam se preparar com um ano de antecedência para a venda de camisas. No entanto, o próprio Leicester, que quase não conseguiu se manter na Premier League na última temporada, não conseguiu prever seu sucesso neste ano, e, portanto, pediu uma quantia muito menor do que o necessário.

"Eles fizeram um pedido imaginando que fossem ficar no fundo da tabela de novo. Ninguém poderia esperar algo como isso que está acontecendo", afirmou.

Nos times pequenos da Inglaterra, o merchandising não tem tanta importância, já que a maior parte da renda anual vem dos gordos direitos de TV. Na última temporada, por exemplo, o Leicester ganhou 104 milhões de libras (R$ 531 milhões), dos quais apenas 2,4 millhões de libras (R$ 12,2 milhões) vieram da venda de uniformes - que não ficaram nem perto de esgotar.

Nas outras lojas da cidade que também vendem material das "Raposas", a situação é igual. A JC Sports, por exemplo, está com estoques esgotados há tempos. A única peça ainda à venda é a versão infantil do uniforme reserva, que é preto.

Segundo Ashok Chatwani, dono da loja, tudo acabou há cerca de cinco semanas, após a venda de cerca de 3 mil camisas - 20% a mais do que na última temporada.

"Nosso lucro foi quatro vezes maior do que no ano passado", comemorou Chatwani, que irá investir parte dos ganhos na ampliação da loja, já prevendo o sucesso de vendas da nova camisa do Leicester quando o time fizer sua estreia na Uefa Champions League.

O dono da JC Sports, aliás, disse que suas vendas não se limitaram à Inglaterra. Chatwani comandou o envio de camisas para países como China, Austrália, Malásia, Indonésia e Tailândia. "Todos torcem pelo Leicester agora", celebrou.

A nova camisa do Leicester deve ser lançada em 7 de maio.

ESPN