terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Alfinetadas: CBF quer "padronizar" homenagens a Chape e passa vergonha por "mostrar serviço"

(Foto: Getty Images)


A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou nesta terça-feira (6) um protocolo de como será feito as homenagens para a Chapecoense após o acidente que matou 71 pessoas na Colômbia na semana passada. As normas chegam a ser absurdas para um momento como este, que não é hora de querer "organizar" e "mostrar serviço", mas sim de respeitar cada time do modo como eles querem homenagear os vitimados, sobreviventes e familiares.

De acordo com a CBF, a final da Copa do Brasil mais os nove jogos que encerram o Campeonato Brasileiro (a própria Chape e o Atlético Mineiro não entrarão em campo), deverão seguir um protocolo de homenagens. Confira:

– Antes do jogo, as bandeiras da Chapecoense, do Brasil e da Colômbia serão levadas ao gramado, além das bandeiras dos dois times que se enfrentam;

– As crianças que entram com os times vestirão uma camiseta branca com os dizeres "Força, Chape";

– O minuto de silêncio terá os dois times no círculo central, e um clipe com imagens da Chape será exibido nos telões;

– Os árbitros e os times usarão o escudo da Chapecoense em seus uniformes; alguns clubes estudam usar uniformes especiais.

A decisão vai de encontro a homenagem que o Palmeiras gostaria de fazer em sua partida contra o Vitória. O alviverde tinha decidido que entraria com a camisa da Chape (uniforme verde) enquanto o Vitória, que concordou com a homenagem, entraria com o uniforme branco do time catarinense.

Pelo jeito, a CBF não tem critério no quesito "ordem na casa". Quando ela bem entende, ele instala normas como estas para mostrar que faz algo pelo futebol brasileiro. Este não é o momento. A tragédia abalou todos que admiram o futebol e as homenagens, sejam lá como elas forem, são bem-vindas, e não arquitetadas como a CBF demonstra.

Esta decisão mostra que a entidade quer fazer "padrão Colômbia", mas era na hora de "mostrar a cara". Não sei onde a CBF quer chegar, mas ela está caminhando para lugar algum.