sábado, 3 de dezembro de 2016

Silêncio, choro e chuva de emoção: Brasil e mundo dão adeus a guerreiros

AFP PHOTO / DOUGLAS MAGNO
(Foto: AFP PHOTO / DOUGLAS MAGNO)


Ole, olé, ole, ole, Chape, Chape! Vamos, vamos, Chape! O campeão voltou! Silêncio e emoção. Assim foram recebidos os 50 corpos de vítimas do acidente aéreo que matou parte do elenco da Chapecoense e jornalistas brasileiros na Colômbia. Neste sábado (03), a Arena Condá lotou para homenagear a Chape.

Voltaram para casa, definiram todos por lá, os quais acompanharam a chegada dos corpos das vítimas de longe desde a saída da Colômbia, passando por Manaus e depois finalmente chegando ao aeroporto de Condá, onde receberam honras militares e foram recebidos pelo presidente da república Michel Temer.  A "casa", a Arena Condá, foi o destino final.

A cerimônia foi encerrada com mensagens de jogadores de futebol de todo mundo. Neymar. Juninho Pernambucano, Marcelo Moreno, Mithyue (futsal), Leandro (Coritiba, ex- palmeiras), Everton (Grêmio), Edílson (Grêmio), Roberto Dinamite, Osvaldo  (Flu), Neto, Leo (ex- santos), Keirrison e Ariel falaram.

Depois das mensagens, o encerramento da cerimônia foi marcado por uma volta dos parentes e amigos das vítimas pelo gramado. Todos foram aplaudidos. Os corpos de 16 vítimas (integrantes da comissão técnica, jornalistas e dirigentes) serão enterrados em Chapecó e o restante das pessoas veladas na Arena seguirão para suas cidades de origem. 

Torcida faz homenagens e se emociona na Arena Condá

A torcida chegou ainda antes do amanhecer para aguardar a chegada dos corpos das vítimas para homenagem na Arena Condá e lotou o estádio assim que a Arena foi aberta mesmo sob muita chuva.

Mãe e mulher de Danilo são aplaudidas

(Foto: Danilo Lavieri/UOL)

Letícia, mulher do goleiro Danilo, protagonizou um dos momentos mais emocionantes. Após a cerimônia, foi ao gol onde o marido fez sua última defesa, contra o San Lorenzo (ARG) e que ajudou a colocar a Chape na final da Copa Sul-Americana. Ela levantou a foto do goleiro e todos aplaudiram bastante. Mais cedo, dona Ilaíde Padilha, mãe do goleiro Danilo, emocionou a todos mais uma vez com sua humildade e força. Quando os corpos chegavam em cortejo à Arena Condá e os familiares se posicionavam para recebe-los, Ilaíde foi muito aplaudida pela torcida.

Discursos de autoridades da Chape e da cidade

Vários discursos foram feitos na Arena Condá durante a cerimônia em homenagem às vítimas. O vice-presidente Ivan Tozzo destacou "que a Chapecoense vai continuar" e agradeceu ao apoio de todos. O prefeito de Capecó, Luciano Buligon, muito emocionado, vestiu a camisa do Atlético Nacional e agradeceu bastante os colombianos pela assistência em um momento tão difícil. "Não é à toa que visto a camisa do atlético Nacional de Medellín. O seu clube fez uma homenagem belíssima a todos nós. O mais brilhante de todos foi a frase que colocaram em sua página na internet: a Chapecoense veio para Medellín com um sonho e voltou como uma lenda".

Autoridades do futebol e do mundo do futebol na Arena Condá

(Foto: Nelson Almeida/AFP)

O presidente Michel Temer; o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo;  o embaixador da Colômbia; o presidente da Fifa Gianni Infantino; o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero; além de ex-jogadores de fora do país como Puyol e Seedorf marcaram presença no estádio para homenagear as vítimas.

Tite vai a Chapecó com missão de "encorajá-los"

Diego Vara/REUTERS
(Foto: Diego Vara/REUTERS)


O técnico Tite chegou a Chapecó depois do desembarque dos corpos e entoou uma só mensagem de apoio à Chapecoense. "Quero poder, na medida do possível, amenizar um pouco este sofrimento e encorajá-los. É o mínimo que posso fazer", disse Tite.

Chegada ao aeroporto foi marcada pela emoção das famílias

Parte das famílias das vítimas foram receber os caixões, que voaram a noite toda em dois aviões Hércules da Força Aérea Brasileira (FAB), no aeroporto de Chapecó. Assim que as aeronaves pousaram, muita emoção, como se respirassem um pouco mais aliviados por poderem homenagear de perto os seus entes queridos que morreram na Colômbia.

Homenagens no futebol e quebra de protocolo em clássico

(Foto: Sergio Perez/Reuters)

O futebol pelo mundo não parou neste sábado de homenagens à Chapecoense. Por todo o mundo os times internacionais e jogadores mostraram o sentimento de luto. No clássico Barcelona x Real Madrid, os atletas dos dois times rivais quebraram o protocolo e se misturaram para foto oficial atrás de uma placa com os dizeres "Fuerza, Chape" (Força, Chape em espanhol).

Michel Temer decide participar de velório na Arena Condá

A princípio o presidente da república Michel Temer participaria apenas da cerimônia de entrega de medalhas às famílias das vítimas no aeroporto e não iria ao velório na Arena Condá. O plano foi mudado e o presidente anunciou que seguiria para o estádio após o desembarque dos caixões. "Não poderia dizer que ia ao estádio ontem porque senão a segurança teria que revistar as pessoas que entram. Só comuniquei que vou lá agora, para facilitar a vida de todos", disse Temer em rápida conversa com os jornalistas.

Jornalistas são velados no Rio, em Florianópolis e em SP

Depois de um atraso para a liberação dos corpos de jornalistas da Rede Globo no Rio de Janeiro, corpos dos profissionais chegaram a sede do Botafogo para receberem as últimas homenagens. Florianópolis e São Paulo também receberam vítimas da tragédia. Os seis profissionais do Fox Sports devem ser velados apenas no domingo (04) após o atraso em Manaus, onde o voo fretado precisou pernoitar.

UOL Esporte