Após dez anos, Franca é campeão paulista de basquete com vitória sobre Paulistano

(Foto: Newton Nogueira/Divulgação/Franca Basquete)

Por Nicholas Araujo
Redação Blog do Esporte


O Franca Basquete conquistou o Campeonato Paulista ao vencer o segundo jogo contra o Paulistano por 77 a 69 na noite dessa quarta-feira (10). A equipe conquistou o seu 12ª título estadual e devolve a derrota sofrida para o Paulistano na decisão do torneio de 2017. A equipe volta a vencer o estadual após dez anos quando, em 2007, havia derrotado o São Bernardo na final.

O Jogo

Digno de uma final, as duas equipes buscavam o erro do adversário, o que deixou a partida equilibrada. O Paulistano tentou imprimir um ritmo maior, mas o Franca contou com uma noite inspirada do amador Elinho, eleito o MVP das finais. “Sem eles eu não teria conseguido, se o time não tivesse se dedicado tanto para conquistar o título, isso não seria possível”, disse o amador.

Forçando o erro adversário, o Paulistano fechou o primeiro quarto com a vantagem de 20 a 13. Na segunda etapa, muitos erros das duas equipes e parada técnica do treinador Helinho. Ainda assim, o Paulistano foi melhor e fechou o segundo quarto com 34 a 27.

Amador Elinho foi eleito o MVP das finais (Foto: Newton Nogueira/Divulgação/Franca Basquete)

Na volta do intervalo, o Franca colocou um ritmo diferente, com boa marcação e poucos erros no sistema ofensivo. Yago foi destaque do Paulistano com cesta de três pontos, mas o poder de ataque dos adversários empatou o terceiro quarto em 47 a 47.

No último quarto, o Franca contou com o braço calibrado de Elinho e saída de Yago após cometer falta para disparar na frente. A vantagem chegou a ser de 11 pontos, mas o Paulistano conseguiu se aproximar e fazer 63 a 67. Entretanto, o Franca foi mais certeiro e controlou a partida para fechar o último quarto em 77 e 69 e comemorar mais um título paulista.

“Mais do que o título é o jeito que foi, tivemos uma resiliência, vários jogos sem dois, três jogadores. Entendo parte das críticas por causa da forma que terminamos o último NBB, mas estou com um grupo de trabalhadores super unido e com prazer de jogar um pelo outro. Último título foi em 2007, poder dar essa alegria aos meus conterrâneos não tem preço que pague”, desabafou o treinador Helinho.