domingo, 7 de outubro de 2018

Melo e Kubot desbancam favoritos na final e conquistam o ATP 500 de Pequim

(Foto: Emmanuel Wong/Getty Images)


O brasileiro Marcelo Melo conquistou neste domingo, ao lado do companheiro polonês Lukasz Kubot, o 11º título da dupla. Na final do ATP 500 de Pequim, na China. Eles se sagraram campeões da chave de duplas ao derrotarem o croata Mate Pavic e o austríaco Oliver Marach por 2 sets a 0, com parciais de 6/1 e 6/4. Pavic e Marach eram considerados favoritos por ostentarem a primeira colocação entre os cabeças de chave. O brasileiro e o polonês, no entanto, não se intimidaram com o cartão de visitas da dupla oponente, e atropelaram em somente 1h05min.

Cabeças de chave número 2, Melo e Kubot foram extremamente eficientes no serviço e venceram 84% dos pontos em que acertaram o primeiro saque. Eles ainda salvaram os dois break points que cederam e aproveitaram três dos cinco que tiveram a seu favor, o que garantiu o triunfo tranquilo. Este é o 31.º título de duplas da carreira de Melo no circuito da ATP, sendo o primeiro em Pequim e o terceiro nesta temporada. Esta também é a 11.ª vez que o brasileiro conquista uma competição tendo Kubot como parceiro.

- Estamos muito felizes por ter conquistado o ATP 500 aqui em Beijing. É mais um título para nós, o 11º como dupla. Hoje (domingo) foi um jogo excepcional para o nosso lado. Jogamos muito bem, do primeiro ao último ponto. Conseguimos manter o foco, ficamos concentrados na nossa tática de jogo e executamos muito bem. Muito contentes por ter conseguido jogar dessa maneira em uma final. Só fomos crescendo durante o torneio e isso dá muita confiança agora para seguir até o fim da temporada - comemorou Marcelo. O brasileiro também vibrou nas redes sociais.

Recordes em 2018 e o 31º título na carreira

Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, com 31 agora, após a conquista em Beijing. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Globo Esporte