segunda-feira, 25 de abril de 2016

Levir Culpi participa de evento da CBF e avalia futebol brasileiro: "É uma questão de cultura. Não somos organizados"

(Foto: Rafael Ribeiro / CBF)


A uma semana da convocação final para a Copa América, o auditório da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no Rio de Janeiro, está recebendo o evento Evolução do Futebol Brasileiro, uma roda de conversas e debates que contará com 28 congressistas, sendo 12 internacionais, e oito palestras ao longo de cinco dias.

E no primeiro dia do evento, na manhã desta segunda-feira, o técnico Dunga se juntou a Levir Culpi e Antonio Conte, treinador da seleção da Itália, e abordaram muitos assuntos do futebol brasileiro e mundial.

Veja os principais pontos:

Problemas do futebol brasileiro

Levir Culpi: "É um problema cultura. Nós sabemos como jogar futebol, mas não somos organizados. É simples assim."

Dunga: O grande problema do Brasil é o ponto cultural, porque queremos tudo de imediato. Como o Levir falou, temos outro tipo de cobrança. O Europeu faz e cumpre uma programação. Nós fazemos, mas deu um resultado errado, muda completamente. Não existe um culpado quando se ganha. Em termo de estrutura estamos melhorando, mas em termos técnicos, nós temos uma defasagem ainda."

Futebol Italiano

Conte: "É um momento não muito fácil para o futebol italiano. Há muitos estrangeiros e é difícil encontrar jogadores italianos. Não é fácil achar uma solução, estamos tentando trabalhar isso com a nossa estrutura, nosso setor juvenil. Há sempre um contraste entre os interesses dos clubes e federações"

Psicólogo ajuda no emocional da equipe?

Dunga: "Hoje o jogador é um popstar em qualquer parte do mundo. é um tema que se debate muito em termos psicológicos. Todo mundo fala que pênalti é sorte, mas é treinamento, confiança. Tem que treinar. Claro que eu eu quero um psicólogo na seleção. Mas ele não vai fazer milagre, pois o jogador não vai ficar apenas 30 minutos com o profissional e se abrir completamente. Não terá confiança necessária.

Levir Culpi: "Vou aproveitar as palavras do Dunga... como trazer um psicólogo para resolver todos os problemas do time? É uma mentira. Os atletas brasileiros precisam de uma assistência social, uma educação. Não gosto de trabalhar falando individualmente. Gosto de trabalhar falando para todo o grupo. Então, para se formar um bom ambiente num clube, não é fácil. Então imagina a dimensão que pode atingir com a pressão da imprensa, torcida, dirigentes. A pressão é muito maior aqui do que na Europa. Estamos caminhando para uma estrutura melhor, mas estamos gatinhando."

Experiência de Levir no Japão:

"Fiquei sete anos no Japaão e alguém cogitou o meu nome para voltar e escutei alguns comentários que eu não estava atualizado. Me causou revolta porque quem conhece o Japão, sabe que as pessoas vão lá para aprender. Não fui para ensinar. Os japoneses são bem mais organizados do que nós, inclusive no futebol. Tudo funciona no campeonato japonês. Começaram até a produzir jogadores de alto nível, que jogam no Manchester United, Borussia Dortmund. Eles se baseiam muito no futebol europeu."

Goal.com