terça-feira, 19 de abril de 2016

Maria Lenk tem manhã sem índices e atletas se poupando

(Foto: Satiro Sodré/ SSPress)


A sessão da manhã desta terça-feira do Troféu Maria Lenk foi morna, sem atletas conseguindo ou melhorando os índices olímpicos já obtidos na primeira seletiva, o Troféu Open de Palhoça (SC), em dezembro.

Um exemplo disso foi Thiago Pereira, que já tem vaga praticamente assegurada para a disputa dos 200m medley. Ele nadou a sua eliminatória em 2m03s46, bem acima do 1min58s32 feito no ano passado.

"Forcei apenas na parcial do crawl, nos últimos 50m, que é onde estou focando em melhorar", disse o medalhista olímpico de prata dos 400m medley.

Outro atleta com índice na mesma prova, Henrique Rodrigues fez 2m02s13 e avançou à decisão com o melhor tempo, mas longe do 1min58s26 que havia feito em Palhoça.

"Foi tranquilo. Agora é pensar em nadar mais forte de tarde. Tenho perspectivas muito boas. Dá para nadar bem mais forte", disse o nadador que espera um bom duelo com Pereira na final na noite desta terça.

Nos 100m livre feminino, Etiene Medeiros fez 54s67, contra 54s26 que havai feito no Open e segue como a única garantida na Olimpíada nesta prova.

"Não somos uma máquina, mas estou bem feliz com meu tempo. A virada foi muito forte. Agora é fazer esta parte bem e aguentar a volta", disse a nadadora.

Outro atleta que já tem índice e apenas segurou na eliminatória foi Leonardo de Deus nos 200m costas. Os 2min02s95 obtidos foram muito pior do que o 1m57s43 que fizera em 2005.

Nos 200m peito feminino, nenhuma nadadora conseguiu índice e o Brasil segue sem representantes na Olimpíada.

UOL Esporte