domingo, 23 de setembro de 2018

Fraga vence em sua 100ª corrida na Stock. Átila fatura a prova 2 no Velo Città

 (Foto: Duda Bairros/Stock Car/Vipcomm)


A Stock Car teve um final de semana de muitas disputas, trapalhadas e polêmicas no Velo Città. Na primeira corrida, melhor para Felipe Fraga, que se aproveitou de problemas com Marcos Gomes e Gabriel Casagrande. O triunfo foi o 15º do tocantinense na carreira, logo em sua 100ª prova na categoria. Na prova 2, melhor para Átila Abreu, que venceu pela segunda vez na pista de Mogi Guaçu. Daniel Serra, líder da classificação, fez dois segundo lugares, ampliando a vantagem para 17 pontos contra Fraga.


Corrida 1 - Vitória cai no colo de Fraga

Na largada, melhor para Marcos Gomes, que manteve a liderança, enquanto Felipe Fraga acabou superado por Gabriel Casagrande. Cacá Bueno foi outro que não saiu bem, perdendo posições, para completar a primeira volta em sexto. Em segundo, Casagrande afirmou pelo rádio que a luz de freio no carro de Gomes não estava funcionando, informação levada pela equipe à direção de prova. Minutos depois, o carro #80, que liderava a corrida, recebeu ordens para ir ao box efetuar o conserto. Com isso, Gabriel assumiu a ponta.

- Temos duas luzes de freio, uma na tampa da mala, na lanterna, e outra interna, que é o backup. Segunda a CBA as duas não estão funcionando - disse William Lube, chefe da CR.

Com pouco mais de 20 minutos para o término da prova, Lucas Di Grassi superou Julio Campos para ser o quinto. Logo depois, os carros começaram a entrar nos boxes para fazer o pit stop. O momento decisivo aconteceu quando Gabriel Casagrande, líder, e Felipe Fraga, segundo, entraram para efetuar a troca de pneus. A equipe de Mauro Vogel se atrapalhou com a troca, e Casagrande ficou sem a roda traseira direita. Assim, Fraga tomou a primeira colocação e não teve problemas para mantê-la até o final.

- É complicado, vamos para a próxima. O que eu tinha que mostrar, mostrei. Estou satisfeito. Infelizmente me tomaram a vitória, tem coisas que a gente não consegue controlar - disse Casagrande.

Veja o top 10 da prova 1:

1. 88 Felipe Fraga, 27 voltas em 41m53s283
2. 29 Daniel Serra + 2s478
3. 0 Cacá Bueno + 7s258
4. 4 Julio Campos + 13s434
5. 11 Lucas Di Grassi + 14s819
6. 21 Thiago Camilo + 15s072
7. 33 Nelsinho Piquet + 16s623
8. 10 Ricardo Zonta + 17s803
9. 51 Átila Abreu + 18s960
10. 110 Felipe Lapenna + 23s603

- Estou muito feliz. Muito trabalho a fazer, meu carro não era melhor. Acho que não venceria se não fosse o problema do Marcos, depois o pit stop do Casagrande. Não sei o que aconteceu com ele, mas esse foi o pit stop mais rápido da CR no ano. Então, queria dedicar essa vitória aos mecânicos, hoje eles capricharam - comentou Fraga.

Corrida 2 - Átila a lá Schumacher

Já com o grid invertido, Felipe Lappena teve um problema na pressão de combustível, não podendo largar na pole position. Átila Abreu, então, saiu em primeiro, mas foi logo superado por Ricardo Zonta. O piloto do carro #51 foi ultrapassado por Nelsinho Piquet na sequência. Também com problemas na lanterna de freio, Cacá Bueno foi obrigado a largar dos boxes. O pentacampeão, entretanto, rodou apenas uma volta e depois teve que recolher. Segundo a direção de prova, o carro #0 não estava com as luzes de freio funcionando, o que Cacá contestou:

- Mandaram eu vir para o box com meu carro em ordem. A CBA, como sempre, faz absurdos. Isso foi um absurdo. Estava funcionando, eu não infringi a regra - esbravejou o piloto.

Com 28 minutos para o final, Bia Figueiredo, sem freio, passou reto na curva 1, atingindo em cheio o carro de Gabriel Casagrande. Com isso, o safety car foi acionado. Na relargada, Zonta se manteve à frente de Átila, enquanto Nelsinho foi ultrapassado por Daniel Serra. Faltando pouco mais de 17 minutos para o final, os carros começaram a ir aos boxes. Zonta parou, porém Átila ficou na pista. Di Grassi e Pizzonia se tocaram dentro do pit, com o primeiro sendo obrigado a abandonar a prova. Por ter ficado mais tempo na pista, Átila acelerou, abriu vantagem, parou e voltou à frente de Zonta.

Enquanto Fraga usava o push para ultrapassar Thiago Camilo, Daniel Serra tentava fazer o mesmo para cima da Zonta na curva 1. O curitibano, porém, se segurou a posição. Serrinha acabou pressionado por Rubens Barrichello, mas conseguiu se manter à frente do campeão de 2014. Lá na frente, longe das disputas, Átila rumo solitário para vencer pela segunda vez no Velo Città. Na abertura da última volta, Serra e Barrichello conseguiram ultrapassar Zonta, para fechar o pódio, em segundo e terceiro, respectivamente.

Veja o top 10 da prova 2:

1. 51 Átila Abreu, 26 voltas em 42m46s284
2. 29 Daniel Serra + 2s280
3. 111 Rubens Barrichello + 2s656
4. 10 Ricardo Zonta + 3s723
5. 4 Julio Campos + 6s300
6. 88 Felipe Fraga + 9s381
7. 90 Ricardo Maurício + 11s692
8. 77 Valdeno Brito + 13s152
9. 33 Nelsinho Piquet + 13s891
10. 44 Bruno Baptista + 15s091

Globo Esporte