sábado, 4 de março de 2017

Sob olhar de Tite, Corinthians bate o Santos e segue no topo do Paulista

(Foto: Marcos Ribolli)


Em clássico que teve o ex-técnico Tite na plateia, o Corinthians reviveu o espírito do antigo comandante para bater o Santos por 1 a 0, neste sábado, em confronto válido pela 7ª rodada do Campeonato Paulista. Com muita marcação no campo de ataque, os corintianos dominaram a posse de bola, minimizaram os riscos na defesa e venceram graças a uma triangulação ofensiva que o atual treinador da seleção tanto usou no time.


Com o resultado, o Corinthians chega aos 18 pontos, ainda com a liderança tranquila do Grupo A do Campeonato Paulista. De quebra, o time do técnico Fábio Carille, ex-auxiliar de Tite, mantém a melhor campanha do Estadual. Por sua vez, o Santos segue estagnado nos 10 pontos, ainda em situação de classificação complicada dentro do Grupo D.

No jogo, com o artifício da marcação sob pressão no campo de ataque, o Corinthians conseguiu dominar as ações no primeiro tempo. O time da casa acabou dificultando a saída de bola do Santos e forçando erros de passe de Vitor Bueno, o principal armador dos visitantes.

Depois de perder boas oportunidades antes no primeiro tempo, o Corinthians definiu a vitória logo no minuto inicial após intervalo. Numa boa jogada pela esquerda, Arana cruzou na área e encontrou Jô, que desviou de cabeça para marcar – mais uma vez em um clássico, já que também havia marcado contra o Palmeiras em fevereiro.

Vladimir, o "paredão"
Novamente, Vladimir destacou-se na Arena contra o Corinthians. No primeiro tempo contra o arquirrival santista, o goleiro realizou pelo menos três grandes defesas que impediram a saída do zero do placar. Maycon, Pablo e Romero (após desvio de Lucas Veríssimo) pararam no camisa 12 do clube litorâneo. Na etapa final, no entanto, não conseguiu segurar a cabeçada de Jô.  

Jadson: demorou a engrenar
Pela primeira vez titular desde o retorno para o Parque São Jorge, Jadson demonstrou falta de ritmo no início do clássico. O meia errou passes e demorou a se encaixar no esquema de Fábio Carille, mas cresceu conforme o Corinthians passou a dominar o Santos.

Santos tímido em Itaquera
O Santos aceitou o jogo imposto pelo Corinthians na noite deste sábado. Em Itaquera, a equipe de Dorival Júnior pouco ameaçou a meta defendida pelo goleiro Cássio. Faltou criatividade diante da postura compacta da equipe de Fábio Carille. Somente na parte final do jogo, com o placar em desvantagem, o time de Vila Belmiro ocupou o campo ofensivo.

O Corinthians de Fábio Carille se assemelhou ao Corinthians da Era Tite no clássico deste sábado. Embora longe das glórias e do reconhecimento anterior, muito do trabalho do atual técnico da seleção apareceu neste sábado, especialmente na questão das triangulações ofensivas. O gol de Jô saiu justamente após três atletas participarem da jogada: Rodriguinho para Romero; Romero para Arana; e Arana para Jô.

Olê, Olê, Olê, Olê! Tite! Tite!
Tite, aliás, estava presente na Arena Corinthians neste sábado. Durante o intervalo, quando apareceu no telão, o atual técnico do Brasil foi ovacionado. O tradicional grito de "olê, olê, olê, olê! Tite! Tite!" ganhou força com praticamente todo o público, que cantou para homenagear o comandante dos títulos da Libertadores e Mundial de 2012.

Quem foi bem: Guilherme Arana
Fora o trabalho com Bruno Henrique no sistema defensivo, no qual levou vantagem na maioria das jogadas sobre o atacante santista, Guilherme Arana ainda se mostrou decisivo no ataque. Foi dele o preciso cruzamento para Jô assinalar o único gol do clássico deste sábado.

Quem foi mal: Cléber
O ex-zagueiro do Corinthians sofreu com Jô no duelo deste final de semana e errou o posicionamento quando não poderia. O zagueiro deixou o centroavante corintiano subir livre para anotar o gol em Itaquera. Faltou tempo de bola no lance mais decisivo do clássico.

Arbitragem controla jogo na conversa
Depois da atuação desastrosa de Thiago Duarte Peixoto, com falha no clássico entre Corinthians e Palmeiras, também em Itaquera, Leandro Bizzio Marinho entrou pressionado na partida deste sábado. Mas o árbitro conseguiu conduzir bem a partida, com a estratégia de controlar os times na conversa, evitando cartões em incidentes menores no primeiro tempo. Já na etapa final, ele precisou usar o amarelo em alguns momentos. 

Torcedor é detido após atirar pipoca no bandeirinha
Uma cena curiosa durante o segundo tempo do clássico. Um torcedor do Corinthians foi identificado pela Polícia Militar após atirar um saco de pipocas em um dos auxiliares de arbitragem. O corintiano foi prontamente retirado de seu lugar e encaminhado para esclarecimentos. 

CORINTHIANS 1 x 0 SANTOS

Data: 4 de março de 2017, sábado
Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Competição: Campeonato Paulista (7ª rodada)
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho
Auxiliares: Miguel Ribeiro da Costa e Daniel Paulo Ziolli
Público: 36.378 torcedores
Renda: R$ 1.991.856,80
Cartões amarelos: Gabriel, Jadson, Rodriguinho e Pablo (COR); Vladimir (SAN)
Gols: Jô, a 1min do segundo tempo

CORINTHIANS
Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel; Jadson, Maycon, Rodriguinho (Giovanni Augusto) e Romero (Léo Jabá); Jô (Kazim). Técnico: Fábio Carille

SANTOS
Vladimir; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Cleber Reis e Zeca; Yuri (Rafael Longuine), Thiago Maia e Vitor Bueno; Bruno Henrique, Copete (Rodrigão) e Kayke (Thiago Ribeiro). Técnico: Dorival Júnior

UOL Esporte