Pular para o conteúdo principal

Por que a Copa do Nordeste é um sucesso de público?

(Foto: Reprodução/ Facebook Ceará/ Elton de Castro)














Foram quase três meses, 173 gols e 73 jogos jogos pelos nove estados da região. E mais uma vez a Copa do Nordeste se provou um sucesso de público.

Após o primeiro jogo da decisão do Nordestão (Bahia 0 x 1 Ceará, na semana passada, numa Fonte Nova lotada), a média de torcedores por jogo é de 7.047, com 71,68% dos ingressos vendidos. Número acima, por exemplo, dos 4.335 do Gaúcho, 4.954 do Carioca e 5.225 do Mineiro, segundo dados do site Sr. Goool.

A média de público na atual edição, aliás, será ainda maior ao término da competição. Afinal, o jogo de volta entre Ceará e Bahia, que decidirá o campeão da Copa do Nordeste, nessa quarta-feira, às 22h, levará mais de 60 mil pagantes ao Castelão.

O estádio tem capacidade total de 63.903 ingressos. Até o fim dessa segunda-feira, todos os mais de 51 mil ingressos colocados à venda nas bilheterias haviam esgotado. Mas o restante foi destinado às torcidas organizadas dos dois clubes, que não costumam decepcionar quando se trata de seguir suas camisas.

O sucesso de público do Nordestão já deixou de ser novidade. Nas duas últimas temporadas, a média de torcedores por jogo ficou sempre acima dos principais campeonatos estaduais do país.

Mas por que a Copa do Nordeste se consolidou no calendário do futebol brasileiro como uma competição tão atrativa aos torcedores da região?

Há motivos de sobra: 1- A competição aumenta o número dos clássicos estaduais. Na primeira fase da atual edição, inclusive, o finalista Ceará jogou dois Clássicos-Rei contra o arquirrival Fortaleza. Resultado: mais de 65 mil cearenses no Castelão nos dois jogos;

2- Com o formato de mata-mata em jogos de ida e volta, pega fogo também a rivalidade interestadual tão característica no Nordeste. Mais que confrontos entre clubes, trata-se de duelos de estados. Que são acompanhados de perto pelos veículos de comunicação locais. Os maiores públicos pagantes do Nordestão, por exemplo, ajudam a exemplificar essa lógica. Enquanto Bahia x Ceará atraiu 40.805 torcedores ao estádio, Bahia x Sport levou 40.205 à Fonte Nova;

3- Desde a edição passada, quando passou a ser organizada pela CBF, o título da Copa do Nordeste garante vaga na Copa Sul-Americana - que mesmo pouco badalada é garantia de mais dinheiro nos cofres e visibilidade na mídia para os times nordestinos;

4- Quem acompanhou de perto a edição 2015 da Copa do Nordeste, pode assistir à medalhões que escreveram seus nomes no futebol nacional. É o exemplo do interminável atacante Magno Alves, pelo Ceará; do zagueiro Durval e do meia Diego Souza, no Sport; do lateral-esquerdo Juan e do meia Jorge Wagner, no Vitória; entre outros como Júlio César, Dudu Cearense e Chicão;

5- A paixão. Não é que os torcedores de demais regiões do país não sejam apaixonados por seus times, jamais. Mas os times do Nordeste convivem com poucos títulos de grande expressão, menor cobertura da mídia nacional e verba muito aquém de cifras milionárias. Mesmo assim, a maioria dos torcedores nordestinos segue fiel à sua camisa e costuma alardear aos quatro cantos o amor pelo seu time de coração.

Dessa forma, a Copa do Nordeste se transforma num prato cheio para o torcedor vestir sua camisa, ir ao seu estádio e valorizar o futebol de sua região.

Público do jogo de ida da final da Copa do Nordeste:

Bahia x Ceará (40.805)

Público dos jogos de ida pelas finais dos Estaduais 2015:

Atlético Mineiro-MG 0 x 0 Caldense-MG (53.772)

Grêmio-RS 0 x 0 Internacional-RS (43.681)

Palmeiras-SP 1 x 0 Santos-SP (39.479)

Vasco-RJ 1 x 0 Botafogo-RJ (39.379)

Fortaleza-CE 2 x 1 Ceará-CE (18.832)

Figueirense-SC 0 x 0 Joinville-SC (13.682)

Gama-DF 3 x 0 Brasília-DF (8.396)

Vitória da Conquista-BA 3 x 0 Bahia-BA (8.269)

Operário-PR 2 x 0 Coritiba-PR (7.067)

Comercial-MS 0 x 0 Ivinhema-MS (2.826)

Aparecidense-GO 0 x 2 Goiás-GO (2.361)

UOL Esporte

Comentários