sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Andreas Pereira é o quarto não nascido no Brasil a ser convocado pela Seleção; veja a lista

 (Foto: Amy Lemus/NurPhoto via Getty Images)


A convocação para a seleção brasileira de um jogador que não nasceu no Brasil pode soar estranho, mas não é novidade. Nesta sexta-feira, Tite chamou Andreas Pereira para os amistosos contra Estados Unidos e El Salvador em setembro. Filho de brasileiros, o volante do Manchester United nasceu em Duffel, na Bélgica, e se junta a um seleto grupo de outros três jogadores "estrangeiros" que defenderam a equipe principal do Brasil na história.

O atacante Sidney Pullen, nascido na Inglaterra; o goleiro Casemiro do Amaral, nascido em Portugal; e o meia Francisco Police, nascido na Itália, são os atletas em questão. Todos eles defenderam a seleção brasileiro nos primeiros anos do século XX. A última partida oficial do Brasil com um jogador não nascido no país em campo foi em janeiro de 1918. Há mais de 100 anos, portanto.

Embora o regulamento da Fifa diga que o jogador não pode ser convocado por uma seleção somente a partir do momento em que dispute uma partida oficial por outra, o caso de Andreas foi diferente. Ele defendeu as seleções de base da Bélgica. Mas em 2015, pouco antes do Mundial Sub-20, enviou uma carta para a Fifa pedindo para vestir a camisa do Brasil - fez gol na final, inclusive. Essa mudança, de acordo com consulta da CBF, só pode ser feita uma vez.

- Fizemos todas as consultas junto à Fifa. Na verdade, o Andreas hoje só pode ser convocado para a seleção brasileira. Ele não pode mais ser chamado pela Bélgica desde que optou pela Seleção e sinalizou isso à Fifa - explicou Edu Gaspar, coordenador de seleções da CBF.

Confira os outros "estrangeiros" que defenderam a Seleção:

Francisco Police, meia - ITÁLIA

Os pesquisadores dizem que Police nasceu em 1883 em algum lugar na Itália, embora essa informação não seja reconhecida pela CBF. Ele disputou um amistoso contra um combinado da cidade de Dublin, no Uruguai, no dia 27 de janeiro de 1918 - o Brasil perdeu por 1 a 0.

Casemiro do Amaral, goleiro - PORTUGAL

Nascido em 1892 na cidade de Lisboa, em Portugal, Casemiro atuou em seis jogos a serviço da seleção brasileira no início do século XX: empate em 1 a 1 com a Argentina (10/07/1916); derrota por 2 a 1 para o Uruguai (12/07/1916); derrota por 4 a 2 para a Argentina (03/10/1917); derrota por 4 a 0 para o Uruguai (julho de 1917); vitória por 5 a 0 sobre o Chile (12/10/1917); e derrota por 3 a 1 para o Uruguai (16/10/1917).

Sidney Pullen, atacante - INGLATERRA

Nasceu no dia 14 de julho de 1895 na cidade de Southampton e disputou, no total, cinco partidas com a camisa da seleção brasileira. Nenhuma, no entanto, com caráter oficial da Fifa. Eis os jogos: empate em 1 a 1 com o Chile (08/07/1916); empate em 1 a 1 com a Argentina (10/07/1916); derrota por 2 a 1 para o Uruguai (12/07/1916); empate sem gols com combinado de Dublin (07/01/1917); e empate em 1 a 1 com o argentino Barracas (06/05/1917).

Globo Esporte