domingo, 12 de agosto de 2018

Com três de Lewandowski, Bayern de Munique goleia, dá show e conquista a Supercopa da Alemanha

 (Foto: Divulgação/Bayern de Munique)


Definitivamente, a zebra que passeou pelos campos alemães em maio não deu as caras no Waldstadion neste domingo. Longe disso. Ao contrário da final da Copa da Alemanha, quando perdeu por 3 a 1, desta vez o Bayern de Munique confirmou o seu favoritismo contra o Eintracht Frankfurt, atropelou o adversário por 5 a 0 e conquistou a Supercopa da Alemanha. Sétima vez que o gigante da Baviera garante esse título. O nome da decisão foi Lewandowski, com três gols. Coman teve grande atuação e também fez o dele. Thiago Alcântara completou o placar.

Apesar da grande exibição de Coman, o protagonista da decisão da Supercopa da Alemanha neste domingo não poderia ser outro: Robert Lewandowski. Ele começou a temporada 2018/2019 a mil por hora, com três gols, sendo dois de cabeça e um de canhota. O centroavante polonês sofreu com a marcação e as provocações do zagueiro Abraham - com direito a cotovelada e corte na boca. Essa briga fez com que ele fosse substituído, mas não diminuiu o brilho do atacante.

Se na etapa inicial o Bayern de Munique não sobrou como se esperava, apesar do 2 a 0 no placar, no segundo tempo a história foi bem diferente. O Eintracht Frankfurt só conseguiu acertar o gol adversário apenas uma vez, em todo o jogo. Muito pouco para quem quer derrotar o maior clube da Alemanha. O terceiro de Lewandowski não foi pelo alto, mas também contou com um erro grave da defesa do Frankfurt, na saída de bola. O quarto do Bayern aconteceu porque Rönnow não cortou o cruzamento rasteiro de Alaba. Para fechar a conta, Coman deitou e rolou em cima da marcação e deixou Thiago Alcântara livre para marcar o quinto. Final: 5 a 0, e título da Supercopa no bolso.

O Eintracht Frankfurt segurou o Bayern de Munique por cerca de 20 minutos. Impediu qualquer finalização do gigante alemão e, se não acertava o gol adversário, pelo menos o obrigava a correr para se defender. Mas bastaram dois vacilos em jogadas pelo alto para tudo mudar. Primeiro, no cruzamento de Kimmich. Depois, no escanteio batido por Robben. Em ambos, Lewandowski marcou de cabeça, e o time da Baviera foi para o intervalo com o título praticamente garantido.

Globo Esporte