segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Quase demitido, Stoffel Vandoorne dispara contra McLaren: "Sem progressos"

(Foto: EFE)


Se Stoffel Vandoorne esperava que os ares caseiros o fizessem bem e lhe proporcionassem uma corrida melhor, o fim de semana em Spa-Francorchamps acabou sendo tão ou mais desastroso como os anteriores. Com problemas no carro e um acidente nos treinos livres, e um terrível desempenho do modelo MCL33 na classificação e na corrida, o belga andou sempre na última posição.

Com apenas oito pontos no campeonato, Vandoorne já é considerado carta fora do baralho pela McLaren. Segundo se comentou no paddock de Spa, ele seria substituído nas etapas finais da temporada por Esteban Ocon, emprestado numa operação que ainda envolve a ida de Lance Stroll da Williams para a Force India. Como se já soubesse do seu destino, o belga resolveu disparar contra os problemas da McLaren.

- É difícil conseguir um fim de semana pior. Nós vimos que o desempenho que temos está muito longe de ser bom. Não há realmente uma explicação. A realidade é que nós não progredimos desde o começo do ano, nós não progredimos nada na comparação com os outros - decretou.

Perguntado após a corrida se tantos problemas e tantas especulações o deixam irritado com a McLaren, Vandoorne desconversou, embora tenha deixado claro que uma eventual chateação não mudaria nada no seu destino dentro da equipe:

- O que isso muda para a situação? Mostrei com bastante frequência dentro da equipe o que eu quero, mas não há nada que eu possa mudar sobre os problemas que estamos enfrentando agora.

Não bastasse o péssimo desempenho do carro, no primeiro treino livre em Spa-Francorchamps, Vandoorne ainda teve de ser submetido a uma comparação direta com o piloto reserva Lando Norris, um dos possíveis candidatos para a segunda vaga da McLaren no ano que vem - Carlos Sainz já está confirmado. Só que a comparação não foi totalmente fiel ao que se viu na pista, já que Vandoorne teve uma enxurrada de problemas.

- Obviamente, eles querem ver como nos comparamos, mas acho que antes de tudo a equipe deve dar um carro que seja capaz de andar antes que possamos realmente comparar. Problemas no primeiro treino com os freios no início e depois um problema relacionado ao motor mais tarde. No segundo treino também começamos com mais alguns problemas. Não parecia que eu estava trabalhando - criticou.

Globo Esporte