quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Copa Davis terá novo formato e R$11,7 bi de investimento de empresa de Piqué

(Foto: AFP)


Nasce uma nova Copa Davis. A Federação Internacional de Tênis (ITF) anunciou nesta quinta-feira o novo modelo da competição, uma espécie de Copa do Mundo do Tênis. A votação ocorreu nesta semana na reunião geral de federações dos países, em Orlando, e foi aprovada com 71% dos votos. Assim, o torneio passará a ser disputado em solo neutro durante uma semana, em novembro, com 18 países participantes lutando anualmente pelo cobiçado troféu.

A ITF conseguiu somar os dois terços necessários para que a mudança fosse implementada já em 2019. A proposta sofreu resistência de países mais tradicionais, como Austrália e Grã-Bretanha, que se posicionaram contra. O Brasil, assim como toda a América do Sul, votou a favor do novo modelo. O dinheiro investido será redirecionado para o desenvolvimento do esporte em mais de 200 países no mundo. O principal motivo da mudança foi a ausência de tenistas tops disputando a competição nos últimos anos. A sede da primeira edição será Lille, na França, ou

Como funciona a nova Copa Davis?

- 18 países disputam o torneio: 12 vagas pela vitória na repescagem(*), quatro semifinalistas da edição anterior e dois países convidados da ITF;

- Formato da competição: fase de grupos na rodada inicial, mata-mata a partir das quartas de final;

- Fase inicial: seis grupos com três países cada. Classificam os vencedores de cada grupo e os dois melhores países que tiveram melhor desempenho e ficaram em segundo lugar;

- Confrontos: Três jogos de melhor de três sets, duas partidas de simples e uma de dupla;

- Duração: evento disputado durante uma semana;

(*)"Repescagem": Doze países que ficaram entre 5º e 16º no ano anterior enfrentam, em fevereiro, 12 países que venceram Zonais na Europa/África (6), Américas (3) e Ásia/Oceania (3). O vencedor de cada confronto se classifica para disputar a Copa Davis, em novembro. Os países que ficarem na 17ª ou 18ª colocação serão rebaixados diretamente para o Zonal, sem direito de disputar a repescagem.

Quem está por trás da iniciativa?

Estrela do Barcelona, Gerard Piqué é o criador e presidente do grupo de investimento Kosmos, que anunciou um plano para investir US$ 3 bilhões (cerca de R$ 11,7 bilhões) por 25 anos no tênis se a proposta fosse aprovada. Ele iniciou as negociações com a Federação Internacional de Tênis no ano passado. A estratégia era que houvesse uma etapa de transição, com a final já neste ano,

- Kosmos está animado para se juntar nessa parceria com a ITF. Juntos, nós podemos elevar a Copa Davis a novas alturas ao coloca-la numa imperdível Copa de Mundo do Tênis, apresentando as melhores nações e jogadoras - disse Piqué, no início do ano.

Globo Esporte