quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Pilotos divididos em relação ao Halo mesmo após acidente na largada em Spa

 (Foto: REUTERS/Francois Lenoir)


Quatro dias depois do assustador acidente na largada do Grande Prêmio da Bélgica, no qual o pneu dianteiro da McLaren de Fernando Alonso tocou o Halo da Sauber de Charles Leclerc, seguem as discussões sobre a importância do novo sistema de segurança localizado acima do cockpit. Para o causador da múltipla colisão em Spa-Francorchamps, Nico Hulkenberg, um antigo crítico do sistema, é inquestionável que o sistema exerceu sua função ao evitar que Leclerc fosse atingido na cabeça, o que poderia render graves consequências ao piloto.


- Acho que apesar de eu ainda não ser um grande fã do Halo e do dispositivo, tenho de ver os fatos e admitir que isso trouxe algo à F1, especialmente na segurança que temos no carro. Muitos sentimentos distintos sobre isso ainda, mas de qualquer forma não é comigo, e isso é que é. Isso se provou útil e um bom dispositivo. Podemos apenas especular o que teria acontecido sem isso, mas parece bem claramente pelas marcas do pneu sobre o Halo. Então, desse ponto de vista, fez um grande trabalho ao manter a cabeça segura - disse Hulk em entrevista coletiva em Monza.

Por outro lado, ainda existem entre os pilotos aqueles que não gostam do Halo: o dinamarquês Kevin Magnussen, embora tenha deixado clara sua satisfação em ver que Leclerc não foi atingido na cabeça, reafirmou que sua filosofia em relação aos carros de Fórmula 1 é diferente:

- Estou apenas feliz por ninguém ter se machucado, ninguém quer ficar machucado e ninguém quer que alguém mais se machuque. Então esse é o fim da história. Mas não muda o fato de que a minha ideia sobre Fórmula 1 é sem o Halo, como a minha ideia de motos é de duas rodas. Mas é claro que se você perguntar a si mesmo, quando vê que o Halo simplesmente salvou uma vida, não vai dizer "oh, não queria que estivesse lá". É claro que você está feliz com isso como neste caso.

Protagonista principal do acidente, Charles Leclerc discordou de Magnussen e não acha que as discussões sobre a eficiência - e beleza estética - do Halo sejam mais necessárias.

- Vendo as imagens, você não pode saber o que teria acontecido sem isso, mas obviamente fiquei muito feliz em tê-lo sobre a minha cabeça. E merece estar na F1 agora. Se a aparência é boa ou ruim, não acho que importa mais - decretou.

Globo Esporte