quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Presidente da La Liga diz que clássico entre Barcelona e Real não será nos EUA

(Foto: David Ramos/Getty Images)


O momento em La Liga é tenso. Depois que jogadores ameaçaram entrar em greve devido ao acordo por jogos nos Estados Unidos, o presidente do campeonato, Javier Tebas, reagiu. Durante entrevista ao site espanhol "El Mundo", Tebas descartou a realização do duelo entre Barcelona e Real Madrid em solo norte-americano.

– Logisticamente, o clássico em Nova York é inviável – limitou-se a dizer.

Apesar de descartar a internacionalização do "El Clásico", Tebas manteve a ideia de exportar jogos do Espanhol para os EUA. O dirigente ressaltou o desejo pelo crescimentos dos clubes e a importância de atrair novos patrocinadores.

– De momento, só dois clubes crescem realmente: Real e Barça. E há outro que consegue avançar um pouco: o Atlético. Precisamos trabalhar para que também cheguem patrocinadores do exterior para Valencia, Villarreal ou Huesca, que acabou de ascender.

Tebas ainda aproveitou para comentar outras questões, como a utilização do VAR na La Liga. O cartola fez um balanço positivo do uso do árbitro de vídeo na primeira rodada do Espanhol e disse que só treinadores derrotados na estreia fizeram reclamações. Ainda alfinetou a política de Fair Play Financeiro da UEFA, ao dizer que ela é permissiva com clubes que desequilibram o mercado na Europa.

– Não vejo que a UEFA vai tratar do problema (Fair Play financeiro) como deve fazer. Você tem que pegar o touro pelos chifres. Caso não o faça, a situação será irreversível. Já não falamos só sobre o PSG e o City, mas também da Inter (de Milão), como vimos no caso Modric. Esses clubes causam inflação contra competições altamente regulamentadas, como a La Liga – protestou.

Globo Esporte