Em final emocionante, Rafaela Silva aplica ippon e leva o ouro no GP de Budapeste

 (Foto: Reprodução/IJF)


Foi com emoção. Em final cheia de reviravoltas, Rafaela Silva conseguiu a medalha de ouro no Grand Prix de Budapeste, na Hungria, nesta sexta-feira. A brasileira enfrentou a alemã Theresa Stoll na decisão e venceu por ippon, poucos segundos depois de a arbitragem retirar da adversária um "golpe perfeito", após análise de vídeo. Com o resultado, a campeã olímpica consegue o primeiro título internacional depois da medalha de ouro na Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016.

Em sua trajetória na Hungria, Rafaela começou o dia enfrentando a americana Leilani Akiyama e depois a polonesa Julia Kowalczyk. Nas quartas de final, a carioca finalizou a japonesa naturalizada canadense Christa Deguchi, vencedora do Grand Slam de Paris e que tinha uma série invicta de 26 lutas. Nas semis, a judoca passou pela húngara Hedvig Karakas, dona da casa.

Na grande final, Rafaela enfrentou a alemã Theresa Stoll, de 22 anos, em duelo muito equilibrado. Com pouco mais de um minuto para o fim, Rafaela conseguiu um wazari, abrindo 1 a 0 no placar. Quando parecia que iria vencer, a campeã olímpica acabou levando um golpe. Inicialmente, o árbitro central apontou ippon, para a comemoração da alemã. No entanto, após revisão de vídeo, a arbitragem voltou atrás e apontou wazarri, deixando o duelo empatado. Depois do susto, a brasileira conseguiu aplicar novo wazari a poucos segundos do fim para vencer por ippon.

Esta foi a primeira vez que Rafaela Silva subiu no pódio no Circuito Mundial em 2018. Desde o ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, a judoca não havia vencido ainda nenhum campeonato, tendo como melhores resultados um terceiro lugar no Grand Slam de Ecaterimburgo e duas medalhas de prata, no Grand Slams de Abu Dhabi e no Grand Prix de Tbilisi, todos torneios disputados em 2017.

Além de Rafaela, outros quatro brasileiros competiram hoje na etapa de Budapeste do Circuito Mundial. No entanto, diferentemente da medalhista de ouro, Raphael Miaque (60kg), Diego Santos (66kg), Nathalia Brigida (48kg) e Kamila Silva (57kg) não conseguiram passar à fase final, não tendo chances de chegar ao pódio.

Globo Esporte