quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Sem descanso! Para sete equipes, agosto será de viagens e muitos jogos decisivos

(Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia)


O calendário do futebol brasileiro é cheio e isso não é novidade. Estaduais, Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, Libertadores, Copa Sul-Americana, Copa do Nordeste, Copa Verde... Envolvidos em tantos torneios, os jogadores já estão acostumados a disputar partidas seguidas, tendo pouco tempo para recuperação e treinamento.

Em ano de Copa do Mundo, com um mês a menos no cronograma, isto fica ainda mais grave. Neste segundo semestre, as equipes praticamente não terão tempo para treinar entre os jogos, principalmente os clubes que por seus próprios méritos conseguiram avançar em competições mata-mata. É o caso de Bahia, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Grêmio, Palmeiras e Santos neste mês de agosto, que entrarão em campo nove vezes.

O torcedor quer sempre ver seu time em campo com força máxima. Os jogadores querem disputar todas as partidas possíveis. Mas será que é possível um mesmo jogador disputar nove jogos em um espaço de 30 dias?

- É, o planejamento da nossa comissão as vezes é dar uma poupada, mas a gente vem de jogos intensos na parada da Copa. Onde todo mundo parou e a gente continuou jogando, disputando as finais da Copa do Nordeste. Agora a mesma intensidade, jogos decisivos da Copa do Brasil, Copa Sul-Americana, clássico. Então, é difícil você ficar fora de jogos como estes - afirmou Zé Rafael, meia do Bahia.

O Santos, além de disputar os nove jogos, será uma das equipes que mais viajará. O fisiologista Luiz Fernando Barros explicou a dificuldade de os atletas estarem sempre em campo.

- É muito difícil. O calendário este ano ficou um pouco diferente de todos os outros. É muito difícil você não ter que poupar um jogador as vezes, ou até que algumas lesões aconteçam. A gente faz tudo para minimizar, mas é impossível. Quando você joga duas vezes na semana, você aumenta em até seis vezes a chance de se lesionar em relação a um time que jogaria só no fim de semana - contou o fisiologista do Peixe.

Confira o cronograma dos sete clubes

O Tricolor Baiano, dos sete clubes em pauta, é de longe quem viajará a maior distância. O clube terá três sequências de dois jogos fora de casa no mês de agosto. Sendo assim, após enfrentar o Fluminense na 17° rodada do Campeonato Brasileiro viajarão direto do Rio de Janeiro para Montevideu, onde encaram o Cerro-URU pela partida de volta da Sul-Americana.

Da mesma forma, após a partida de volta da Copa do Brasil, contra o Palmeiras, irão direto para Belo Horizonte para enfrentar o Cruzeiro pela 19° rodada do Brasileiro. Esta é uma estratégia do clube para diminuir o número de viagens, porém, o elenco ficará grandes períodos longe de casa.

Além de abrir e fechar o mês com sequências de dois jogos seguidos em casa, o Corinthians disputará dois jogos seguidos em Chapecó. Sendo assim, não fará tantas viagens. Por outro lado, fará viagens distantes de ida e volta para Santiago, onde enfrenta o Colo-Colo pelas oitavas da Libertadores. Com vendas recentes de jogadores titulares, há o receio de o Corinthians não ter um elenco grande o suficiente para disputar as três competições.

- A Copa do Brasil e a Libertadores são decididas em dois jogos uma passagem de fase. O Brasileiro ainda tem uma série de jogos para ocorrer. A ideia é jogar sempre com força máxima, pois precisamos dar uma escalada no Brasileiro. Quando tivermos jogos da Copa do Brasil e da Libertadores, serão priorizados estes jogos, mas hoje a gente não vai abrir mão do Brasileiro de forma alguma - afirmou o técnico do Corinthians, Osmar Loss.

A equipe celeste inicia o mês de agosto com uma sequência de três jogos fora de casa, contra Santos, Vitória e Flamengo. Após a partida contra o Peixe, o Cruzeiro viaja para Belo Horizonte, antes de embarcar para Salvador, da mesma forma que após jogar na capital baiana, passa em Belo Horizonte antes de viajar para o Rio de Janeiro.

O Cruzeiro optou por passar sempre em casa, porém esta estratégia aumenta o número de viagens e o tempo total de vôo da equipe. Após a viagem para o Rio, as coisas ficam mais tranquilas. Serão duas partidas contra o Flamengo no Maracanã e depois tem mais duas sequências de dois jogos seguidos em casa.

O Flamengo não teve tanto azar nos confrontos da Copa do Brasil e da Libertadores. Se vai enfrentar dois adversários tradicionais, pelo menos coincidiu com a tabela do Brasileiro e isso facilitará a sequência rubro-negra em agosto. O elenco já inicia o mês no Rio Grande do Sul, onde enfrenta o Grêmio nas duas primeiras partidas do mês. Depois disso, faz três partidas seguidas em casa, contra Cruzeiro duas vezes e Grêmio, cada uma por uma competição diferente. O Rubro-Negro carioca encerra o mês com duas partidas em Belo Horizonte, contra o Coelho e a Raposa.

- Eu quero jogar todos os jogos. A gente sabe que vai ser uma maratona muito difícil mesmo, mas a gente tem que exaltar o trabalho do CEP (Centro de Excelência e Performance do Flamengo), que tem aparelhos e todos os equipamentos para nos recuperar o mais rápido possível - afirmou o zagueiro Léo Duarte.

O Tricolor gaúcho começa agosto com duas partidas seguidas em casa contra o Flamengo. A partir daí começa uma sequência de sete viagens para sete jogos seguidos. Entretando, as viagens gremistas não serão muito longas. A mais distante será para o Rio de Janeiro, para enfrentar o Flamengo pela partida de volta das quartas da Copa do Brasil.

- Nesses nove jogos é muito complicado jogar com time titular, não tem como. Os atletas não conseguem render do mesmo jeito, porque é muito jogo competitivo. A sequência aumenta muito o risco de lesão. O que a gente faz para evitar isso é o rodízio dos jogadores. O professor Renato comanda esse rodízio. É um trabalho em conjunto: preparação física, fisiologia, fisioterapia, massagem e nutrição - contou o fisiologista do Grêmio, Rafael Gobbato.

O Palmeiras, assim como o Bahia, fará nove viagens em agosto. Além de disputar as três competições em fases decisivas, encarará mais de 17h de vôo, o que torna tudo ainda mais cansativo. O departamento de futebol do Alviverde também tomou a estratégia de viajar direto de Salvador para Belo Horizonte, nos dois primeiros jogos do mês, os dois fora de casa. Após a partida contra o Coelho, volta para São Paulo, antes de viajar para Asunción, no Paraguai, onde encara o Cerro Porteño pelas oitavas da Libertadores.

A equipe só não viajará antes da partida contra o Bahia, pelas quartas da Copa do Brasil, pois já terá enfrentado o Vasco no Allianz Parque, pela 18° rodada do Campeonato Brasileiro, quatro dias antes. Podemos destacar o fato de o Palmeiras viajar a Salvador duas vezes em agosto, além da viagem para o Paraguai.

A equipe santista fará oito viagens em agosto, sendo algumas bem longas. O Peixe encarará viagens de ida e volta para Fortaleza e para Buenos Aires. No total serão cerca de 17h dentro de avião. Por sorte, numa das sequências de jogos fora de casa, enfrentará o Atlético-MG, pela 18° rodada do Brasileiro e o Cruzeiro, pelas quartas da Copa do Brasil. Sendo assim, ficará direto em Belo Horizonte e não precisará viajar entre estes jogos.

- Essa maratona de jogos durante o mês de agosto é uma coisa que a gente já sabia que ia acontecer. Estamos felizes, né... Por estar em três competições. É um motivo de orgulho para a gente poder competir em três competições diferentes. E temos agora que descansar bastante entre um jogo e outro, focar na recuperação e na alimentação para aguentar essa maratona de jogos - afirmou o lateral Dodô.

Como será o agosto de outros clubes sul-americanos?

Olhando o calendário dos adversários dos clubes brasileiros na Libertadores, observamos que eles disputarão no máximo seis partidas. Os times argentinos estão iniciando a temporada. O Independiente tem um jogo a mais que o Estudiantes e terá uma quilometragem viajada muito maior pois disputará a Copa Suruga contra o Cerezo Osaka e assim fará viagens de ida e volta para o Japão.

Os clubes europeus disputam tantos jogos assim?

Como os campeonatos nacionais na Europa só começam em meados de agosto, conferimos nos primeiros meses do ano, quando Barcelona, Real Madrid, Juventus e Manchester City mais entraram em campo. Apesar do alto número de jogos de Barça e City em janeiro, é relevante ressaltar que os clubes europeus disputam muitas partidas de copas nacionais no primeiro mês do ano. O City teve oito jogos em janeiro, sendo que disputou a Copa da Inglaterra e a Copa da Liga Inglesa. Mesmo caso do Barcelona com a Copa do Rei.

Estas competições, apesar de tradicionais, passam longe de ser uma prioridade dos gigantes europeus, que costumam colocar os reservas em campo nestes jogos. Analisando o mês de abril de Juventus e Real Madrid vemos o momento mais cheio e competitivo da temporada europeia, com a disputa da Liga dos Campeões e a reta final do campeonato nacional. Os dois clubes chegaram a atingir a marca de sete partidas.

Globo Esporte