Pular para o conteúdo principal

R$ 500 mil e Wesley fora da Libertadores: vingança do Palmeiras contra o SP



O Palmeiras não se importará em pagar os R$ 500 mil correspondentes a dois meses de salário de Wesley. Pelo contrário. Há quem comemore a opção de poder arcar com os custos dos últimos dois meses do volante no Palestra Itália. Tudo para que ele não possa disputar a Libertadores pelo São Paulo.

A péssima relação entre os dois lados terá mais um capítulo nos primeiros dois meses de 2015. Acertado verbalmente com o São Paulo desde agosto e assinado desde o fim de novembro, o meio-campista pode não chegar ao Morumbi a tempo de ser inscrito na fase de grupos da competição sul-americana: o prazo é de 48 horas antes da estreia tricolor no torneio, que deve acontecer por volta do dia 18 de fevereiro.

O contrato de Wesley com o Palmeiras é até o dia 27 de fevereiro. Ele já pode começar a pré-temporada no dia 7 de janeiro treinando separadamente do grupo, porque não será aproveitado de modo algum. Na visão da cúpula alviverde, ele deixa o clube pelas portas dos fundos.

A diretoria chegou a estudar dispensá-lo, mas mudou de ideia. Hoje, o cenário só muda se clube ou jogador tentarem um acordo financeiro. Curiosamente, tanto jogador quanto a equipe tricolor ainda não admitem o acerto. 

"O São Paulo só vai tentar acordo com a gente se tiver muita cara de pau ou com boa quantia de dinheiro", afirmou um dirigente palmeirense ao UOL Esporte sob a condição de anonimato.

A péssima relação entre as partes começou em abril, quando o São Paulo atropelou todos os protocolos e se acertou com Alan Kardec antes mesmo de o Palmeiras finalizar as negociações. Na ocasião, Paulo Nobre e Carlos Miguel Aidar trocaram farpas públicas. 

De lá para cá, a equipe do Morumbi contratou Wesley e tentou atravessar a contratação de Fernando Tobio, que acabou no Palestra Itália.

Recentemente, a diretoria são-paulina ainda quebrou os protocolos para acertar com Thiago Mendes. Enquanto o Palmeiras se acertava com o Goiás, o São Paulo foi direto no jogador, para, então, se acertar com a equipe do centro-oeste. 

Outro capítulo teve final feliz para o Palmeiras. O São Paulo assediou Gabriel Fernando, joia das categorias de base palmeirense. O atacante, no entanto, preferiu ficar na equipe em que foi revelado. 

UOL Esporte

Comentários