Pular para o conteúdo principal

Homem a ser batido nos 50m joga pressão para Cielo: 'Nadará em casa'

(Foto: REUTERS/Michael Dalder)


Atual campeão olímpico e mundial dos 50m livre, o francês Florent Manaudou é o cara a ser batido a pouco menos de nove meses para o início dos Jogos Olímpicos de 2016. Status esse que não deverá mudar quando as competições de natação começarem no dia 6 de agosto. 

Manaudou, de 25, anos é o maior rival dos brasileiros Bruno Fratus e Cesar Cielo. E trata desde já de jogar pressão aos brasileiros. O francês quer nadar solto, sem um peso extra nas costas no Rio de Janeiro. 

"Ainda que ame esta ideia (de ser considerado o cara a ser batido), mas não penso que será assim. Estarei em outro país e um atleta como o Cesar (Cielo), por exemplo, terá mais pressão do que eu competindo em frente aos seus torcedores", disse em entrevista por e-mail ao UOL Esporte. 

Apesar de jogar a pressão para os adversários, o maior objetivo de Manaudou é estragar a festa dos brasileiros e repetir os feitos do russo Alexander Popov e do americano Gary Hall Jr., os dois únicos nadadores bicampeões olímpicos nos 50m livre, prova introduzida na programação dos Jogos em Seul-1988.

Expectativas para a Olimpíada
No Rio de Janeiro, Manaudou disputará os Jogos pela segunda vez na carreira. Em Londres-2012, teve 100% de aproveitamento ao ganhar a única prova que disputou: os 50m livre. Foi seu primeiro grande resultado em uma competição a nível mundial. Desde então, deslanchou e colecionou títulos europeus e em Mundiais de piscina longa e curta. No Mundial de Kazan, em agosto, além do ouro nos 50m livre, subiu também ao lugar mais alto do pódio nos 50m borboleta e no revezamento 4x100m.

Em 2016 ele ainda não sabe quais provas nadará, mas espera repetir o sucesso que teve ao longo de todo este ciclo olímpico. 

"Ainda há muito a ser feito na preparação para a Olimpíada. Acho que também nadarei os 100m livre, mas esta é uma decisão que tomarei mais adiante com meu técnico Romain Barnier. Ainda não alcancei todos os títulos possíveis. Quero ganhar várias medalhas no Rio", avisou.

Manaudou também não acredita que será visto como um vilão caso bata Cielo mais uma vez.

"Penso que será muito difícil. Mas quanto mais pessoas estiverem na torcida, mais forte eu serei. A verdade é que não me importo com isso (torcida contra). Meu objetivo é apenas a vitória. Respeito os nadadores brasileiros e os torcedores. Então espero que me respeitem mesmo se eu vencer", disse.

A Olimpíada marcará a segunda vinda de Manaudou ao Brasil - participou do Desafio Raia Rápida em 2013 - e ele se mostra empolgado em competir no país. E dá um voto de confiança à organização:

"Penso que será (uma Olimpíada) bem organizada. Confio nos organizadores brasileiros e acredito que teremos uma atmosfera incrível. Isso me motiva demais".

Durante o Mundial de Kazan, a ex-nadadora Laure Manaudou – irmã de Florent – criticou Cesar Cielo ao dizer que o brasileiro fazia um "cinema" quando ganhava, ao bater no peito e chorar. Não foi a primeira alfinetada que Cielo recebeu de personalidades da natação. Ele já foi alvo de críticas de Alexander Popov e Amaury Leveaux, entre outros.

Questionado sobre o fato, Manaudou não respondeu à pergunta. Apenas comentou que respeita Cielo. Ele afirmou não ter amizade com os nadadores brasileiros, nem mesmo com Bruno Fratus, a quem tratou com carinho após a prova dos 50m em Kazan. Ele deu um abraço caloroso no rival.

"Temos uma boa relação, mas não somos amigos simplesmente pelo fato de vivermos longe um do outro. Mas a coisa mais importante no esporte é o respeito. Para mim é sempre um prazer cumprimentar um rival e compartilhar algumas palavras depois de uma prova", afirmou.

Busca pelo recorde mundial de Cielo
Apesar do título olímpico e mundial dos 50m livre, Manaudou não conseguiu até hoje nem chegar perto do recorde mundial da distância, que pertence a Cesar Cielo e foi estabelecido no dia 18 de dezembro de 2009.

Naquela oportunidade, quando os trajes tecnológicos ainda não haviam sido banidos pela Federação Internacional de Natação (Fina), o brasileiro cravou 20s91 durante a disputa do Troféu Open, no Pinheiros. Já Manaudou tem como melhor tempo em sua carreira 21s19. E ele mesmo considera missão quase impossível quebrar a marca.

"Penso que será difícil, pois este recorde foi estabelecido quando os trajes eram permitidos. E todos nós sabemos que era mais fácil quebrar recordes com estes trajes", afirmou.

Doping no esporte 
Há duas semanas, a Agência Mundial Antidoping (Wada) publicou um relatório sobre doping no atletismo russo que levou à suspensão da federação e o risco de os atletas não poderem competir na Olimpíada de 2016.

E para Manaudou, a natação não está livre de ter atletas competindo dopados ou estar sujeita a um escândalo de semelhante proporções.

"Penso que (a natação) é como todos os outros esportes. Existem trapaceiros em todos os lugares. Mas é bom lutar contra isso", afirmou.

Relação com a irmã, a fama e vida fora da piscina
Florent não é o primeiro atleta da família Manaudou a se dar bem na piscina. Sua irmã Laure, de 29 anos e já aposentada, foi campeã dos 400m livre em Atenas-2004 e ainda ganhou  uma prata e um bronze naquela edição dos Jogos. Além disso, colecionou diversos títulos europeus e mundiais.

"Eu não sei se sou mais famoso do que ela. Talvez eu tenha ganhar de novo e mais ainda para ser mais famoso. Minha irmã é um  monumento no esporte francês. Mas posso dizer com orgulho que fui eleito o melhor atleta do ano na França em 2014", disse.

Tatuado e com piercing na língua, Manaudou já foi apontado por diversos sites como um dos atletas mais sexys do mundo. Neste ano, ele posou para um calendário ao lado de outros nadadores franceses exibindo a sua forma física. 

Mas falar sobre sua beleza não é algo que cative o nadador.

"Eu aprecio os comentários e é um prazer saber destas coisas. Mas primeiro tenho de me focar na natação. Não fico me questionando se sou um símbolo sexual ou vaidoso", afirmou.

Mas não é só à natação que se resume à vida esportiva do francês. Diz ser fã de vários esportes e gostar de passar horas frente à TV vendo eventos. E também revela seu outro prazer.

"Eu amo jogar handebol e também um pouco de futebol", contou.

UOL Esporte

Comentários